Lá fora com... #5 | Ana Quiñones, da Hierbabuena


Madrilena, Ana Arranz Quiñones mudou-se para Portugal há cerca de 8 anos por amor. E, por amor também, largou um emprego estável e onde era bem sucedida para poder acompanhar mais de perto o crescimento do filho (agora, filhos) e, em simultâneo, dar vida a um sonho. 
Um sonho que se materializou em sapatos para crianças. Um sonho que, no nome da marca, transporta consigo memórias de infância que a Ana quer perpetuar nas peças que desenha, antecipando as aventuras vividas pelas crianças que usam os seus sapatos. Nós já nos apaixonámos. Pelos sapatos e pela história bonita desta marca. Se já a conhecem, vão de certeza concordar connosco. Se não, espreitem um pouco da nova coleção e fiquem a conhecer a história da Ana e da sua Hierbabuena.

Como surgiu a ideia de criar a Hierbabuena? 
Como mãe, estava farta de encontrar sapatos de “cartão”, com pouca qualidade, mas baratos ou, então, de comprar sapatos bons mas muito caros. E pensei: mas será que não é possível haver sapatos bons e acessíveis? E a prova de que isso é realmente possível é a Hierbabuena. 

O que é que fazia antes de arrancar com este projeto? Em que área trabalhava?
Trabalhava numa empresa de software, era a responsável das vendas e projetos internacionais (em países de língua espanhola). Tinha que viajar, reuniões à noite por causa do horário da América Latina, etc. Era um trabalho interessante, mas não para uma mãe de um bebé de 1 ano (naquela altura). Tinha quase sempre dois ecrãs à frente quando tinha reuniões à noite, o do Skype e o ecrã da câmara do bebé!

Há quanto tempo começou a dedicar-se a este projeto? Sabemos que há pouco mais de um ano passou a ser um projeto a tempo inteiro, mas quando é que começou a ganhar forma?
O projeto da Hierbabuena começou a ganhar forma em 2015, depois de nascer o meu filho Martín e de comprovar que, pelo menos em Coimbra, tinha muito pouca variedade de sapatos para ele, muito caros na sua grande maioria e com design nada apelativo do meu ponto de vista.
Em 2016 foi quando me decidi definitivamente pelo melhor fabricante de calçado espanhol, peguei na minha caixinha de lápis e caderno, que guardava da minha época de arquitetura de interiores, e junto com o catálogo de formas e tecidos do fornecedor, desenhei a primeira coleção de inverno.
Foi precisamente nessa mesma altura que comuniquei à minha empresa que não ia continuar a trabalhar para eles e, depois de dois meses, em abril de 2016, comecei a minha nova aventura, dedicada a 100% a este projeto.

Quanto tempo demorou desde que começou a desenhar a ideia até que colocou os primeiros sapatos à venda?
Em março de 2016 foi quando criei a empresa, enviei a coleção definitiva ao fornecedor para iniciar a produção e no dia 19 de setembro de 2016 saiu para venda.

Quantas pessoas trabalham consigo, atualmente, neste projeto? 
Atualmente na Hierbabuena somos duas pessoas, a Margarida Teodoro e eu.
A Margarida é a nossa Community Manager e o meu braço direito para tudo! A sua missão principal na empresa é responder às mensagens e orientar os clientes a escolher o calçado mais adequado, com atenção às idades, medidas do pé, se estão a começar a caminhar e, depois dessa fase, orientar as encomendas e reservas.
Juntas desenhamos e organizamos as campanhas, datas de lançamento de novos modelos, o marketing da Hierbabuena: é um tandem de ideias perfeito entre as duas.

Qual é a missão da Hierbabuena? Pode descrever-nos, resumidamente, as principais características dos vossos sapatos? O que é que vos diferencia?
A missão da Hierbabuena é oferecer sapatos com base nos nossos 5 pilares: sapatos lindos, económicos, duradouros, de preferência de fácil limpeza e o mais importante: saudáveis.
Confiamos a produção à fábrica Batilas, marca líder em Espanha no setor do calçado infantil e altamente reconhecida, que confeciona um calçado 100% orientado a cada período de crescimento. Este fabricante destaca-se pela sua dedicação, compromisso e responsabilidade e é por estes motivos que todos os materiais com que trabalham passam por rigorosas análises para que o produto não tenha substâncias prejudiciais para a saúde.
Queremos com tudo isto mostrar aos nossos clientes que um sapato de preço médio pode ser tão ou mais saudável do que um de marca mais conhecida (em Portugal) e muito mais caro. O principal feedback que temos das nossas clientes, que são principalmente mães, é que depois de muito uso os nossos sapatos não deitam cheiro, o que não acontece com marcas mais caras.

Como é que idealiza os sapatos? Onde vai buscar inspiração? É tudo criado por si ou é um trabalho de equipa com a Batilas?
Primeiro procuro um tema para desenvolver cada coleção. Esta nova coleção que vamos apresentar é inspirada nas cerimónias que acontecem nestes meses de primavera/verão e nas flores e cores que estão presentes.
A partir dali começo a escolher cores dentro dos tecidos disponíveis, linhas de calçado, adornos… e depois adapto tudo aos moldes que a Batilas consegue produzir. É um trabalho que leva muito tempo, gosto de falar com as clientes nos mercaditos que fazemos, nas lojas que vendem os nossos sapatos, e saber o que gostam, o que precisam, o que esperam de nós… e com isto tudo nasce o que eu considero um conjunto de sapatos orientado para todas as necessidades e gostos.
Penso que esta coleção de primavera/verão é a mais "Coimbrinha" por causa disso, pelo feedback mais direto das nossas clientes.

Onde é que podemos encontrar os produtos da Hierbabuena, para além da loja no Facebook?
Vamos inaugurar a loja online, no nosso site www.hierbabuena.pt, este mês de abril, e contamos com 4 corners Hierbabuena em 4 lojas que têm coleções de roupa lindíssima que combinam perfeitamente com os nossos sapatos: Planeta das Ternuras em Coimbra, Mamã Coruja na Lousã, Amore Mio em Canas de Senhorim e Laranjinha em Viseu.

O que é que mais gosta de fazer no seu trabalho?
Adoro tudo, mas o que mais gosto é a parte criativa do desenho, tanto das coleções como das campanhas de marketing, adoro a fase do lápis e papel em branco e começar a sonhar com uma nova coleção, adoro abrir as caixas pela primeira vez e ver com emoção o resultado final, adoro fazer as fotografias, a edição para depois publicar… são tudo fases apaixonantes e depois o feedback das clientes dá uma satisfação enorme!

Quais as principais dificuldades que encontrou/encontra no seu dia a dia de trabalho?
Gerir o tempo, são muitas coisas para fazer com um timing limitado.
O meu principal objetivo, quando optei por criar a minha própria empresa, era ter mais tempo para o meu filho (agora dois). É verdade que temos de trabalhar quase 24h por dia, mas também procuro ter a cada dia tempo de qualidade com eles, sem telemóveis nem computadores, só para brincar ou cantar ou fazer as rotinas da noite com calma e sem pressa… Gerir isto parece fácil, mas é complicado, e agora com dois é um desafio!

E quais foram já as maiores conquistas?
Sermos aceites numa área complicada como é a do calçado infantil, ter um feedback 100% positivo por parte das clientes que repetem coleção após coleção… a maior conquista é chegar a um mercadito infantil, onde temos contacto direto com as clientes, e ouvir “estou ansiosa por ver as novidades, é a primeira vez que a minha filha não quer tirar os seus sapatinhos!” - ouvir isso compensa o esforço todo!

Que planos/desejos profissionais tem a curto/médio prazo (6 meses - 1 ano)?
Gostava de encontrar mais duas lojas na zona centro, Leiria, Pombal… para as próximas coleções, e eliminar fronteiras através da nova loja online; não é fácil, mas com luta, muita vontade e um espírito positivo consegue-se tudo!

Que conselho/dica daria a quem está agora a iniciar um caminho empreendedor e quer criar o seu próprio emprego/negócio?
Sobretudo ter muito bem definido o que queremos, quando e como, e com estas informações fazer um plano, mesmo que seja só para nós. Isto ajuda muito no início a ter uma perspetiva das dimensões do projeto e do investimento inicial.
Ter a consciência de que um projeto empreendedor não tem um retorno imediato, contar também com isso no investimento inicial. No primeiro ano não podemos esperar ter lucro!
E, por último, ter pelo menos a ajuda, no mínimo, de uma pessoa, para dar forma ao projeto connosco e ter uma empresa externa para gerir a contabilidade.
Depois, é só aprendermos por tentativa e erro, sermos flexíveis e pacientes com os clientes e sobre o que eles esperam de nós e estarmos conscientes de que uma empresa nossa é um trabalho de 24 horas por dia, durante os 7 dias da semana e os 365 dias do ano, com grandes satisfações e algumas deceções, mas que tudo compensa por estarmos finalmente a cumprir o nosso sonho.

Muito obrigada, Ana, pelo seu testemunho. Desejamos sinceramente que a Hierbabuena continue a crescer e a dar asas aos sonhos - aos seus e aos das crianças que "voam" nos seus sapatos.
SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© At Mums. All rights reserved.